Dona Maria Redonda nos fez um relato sobre a origem de seu nome.

Nossa querida preta velha nos contou que, ao contrário do que todos acham, ela não era gorda, e sim alta e magra. Seu apelido vem de outra característica, ou melhor, de uma história.

Dona Maria Redonda era a parteira do grupo no qual vivia, e também a pessoa encarregada de cuidar dos filhos dos escravos enquanto eles estavam na lida. Passou sua vida criando estas crianças, e por ter esta responsabilidade foi poupada dos trabalhos escravos impostos aos negros na época.

Por ter de que cuidar de muitas crianças, costumava colocá-las em um círculo para conversar e brincar com elas. Certa vez, na intenção de dar-lhes esperança diante do que elas e seus pais estavam vivendo, Dona Maria Redonda disse às crianças:

“Filhos, peguem nos seus calcanhares, vejam como eles são redondos! Peguem em suas cabeças, elas também são redondas! Nossas barrigas, e até nossas bundas são redondas!!” - e as crianças deram risada.

“Olhem para o céu, o sol e a lua são redondos! Até mesmo os portugueses estão dizendo que esta Terra onde vivemos é redonda. Veja o que comemos, quase tudo é redondo. Agora, vejam, as argolas que escravizam a nós e aos pais de vocês também são redondas, mas estas com certeza vão se desmanchar, pois são as únicas que não foram criadas por nosso pai Oxalá!”.

Com estas palavras, Dona. Maria Redonda afagava os corações das crianças.

Agora sabemos de onde vem tanta doçura, e porque é tão bom deitar em seu colo e receber seu agrado!

Perguntamos a ela se havia se casado, se tinha tido uma família. Disse que as crianças eram sua família, assim como todos com quem vivia eram como seus irmãos.

Os negros escravos tinham um sentido de irmandade muito diferente do que temos hoje. Tinham um sentimento de fraternidade, eram todos irmãos, unidos por sua condição, independente de serem parentes de sangue ou não.

Dona. Maria Redonda nos contou também que ela estava encarnada quando a Abolição da Escravatura finalmente aconteceu . Sobre isso comentou:

“Filha, tive a sorte de viver para ver este dia. Mas, na verdade, a gente nem sabia o que fazer com a liberdade

Salve nossa doce e querida Maria Redonda !!