2.2 – O Espiritismo é uma religião?

0
1

Quando os Espíritos vieram revelar aos homens as novas leis da natureza que fizeram do Espiritismo uma doutrina, eles disseram: “Eis os princípios; cabe a vocês elaborá-los e deduzir as aplicações.” O que fizemos diversas vezes pelas questões científicas, o fazemos agora pela questão religiosa.

O Espiritismo, com efeito, não é por si mesmo, senão uma doutrina filosófica baseada sobre fatos exatos e leis naturais ainda desconhecidas; mas por sua essência, essa doutrina, modificando profundamente as ideias, toca em todas as questões sociais, e por consequência nas questões religiosas, como em outras. Não é disso que todas as filosofias se ocupam já que comentam as bases de todas as religiões, isto é, Deus, a origem e a natureza da alma? A filosofia materialista não se ocupa disso também do ponto de vista da negação? É mesmo impossível que uma filosofia não aborde essas questões em um sentido ou outro. O Espiritismo podia então disso se ocupar, de seu lado, com a ajuda dos elementos novos a que precede; mas isso não é o que constitui uma religião, de outra forma todas as filosofias seriam religiões.

É preciso distinguir a ideia religiosa da religião propriamente dita. A ideia religiosa é geral, sem origem em detalhes firmes, sem qualquer regulamentação. A religião tem um caráter particular de precisão que consiste não somente em uma comunidade de crenças bem determinadas, mas na forma exterior de adoração, no cumprimento de certos deveres, e na ligação que une seus adeptos. É isso que não tem jamais tido o Espiritismo, e é por isso que não tem sido uma religião. Se é espírita porque se simpatiza com a ideia que ele encerra, como se é cartesiano, platônico, espiritualista ou materialista, mas não por uma profissão de fé ou por uma consagração qualquer.

O Espiritismo não possui dogmas, nem cultos, nem ritos, nem cerimônias, nem hierarquias ; não pede, nem admite, nenhuma fé cega ; quer ver claro em tudo ; quer que tudo seja compreendido, que se tenha conta de tudo.

“O Espiritismo, escreve Allan Kardec3, coloca em princípio que antes de crer, é preciso compreender ; ou, que para compreender, é preciso usar de seu julgamento… em lugar de dizer : creia primeiro que tudo e você compreenderá se puder, ele diz: compreenda primeiramente, e creia em seguida se quiser.”

O verdadeiro propósito das assembleias religiosas deve ser a comunicação de pensamentos ; é que em efeito a palavra religião quer dizer ligação ; uma religião, em sua acepção maior e verídica, é uma laço que religa os homens em uma comunidade de sentimentos, de princípios e de crenças.

O laço estabelecido por uma religião, qualquer que seja o objetivo, é um laço essencialmente moral, que religa os corações, que identifica os pensamentos, as aspirações, e não é somente feito de engajamentos que se quebram à vontade, ou de fórmulas acabadas que falam aos olhos mais que ao espírito. O efeito desse laço moral é estabelecer entre aqueles que uniu, como consequência da comunidade de visões e de sentimentos, a fraternidade e a solidariedade, a indulgência e a benevolência mútuas. É nesse sentido que também dissemos : a religião da amizade, a religião da família.

Se for assim, dirá você, o Espiritismo então é uma religião ? Muito bem , sim ! Sem dúvida. Senhores, no sentido filosófico, o Espiritismo é uma religião e nós disso nos glorificamos, porque é a doutrina que fundamenta os laços da fraternidade e da comunhão de pensamentos sobre uma convenção simples mas sobre bases mais sólidas, as leis mesmas da matéria.

Porque então havíamos declarado que o Espiritismo não é uma religião ? Pela razão que só há uma palavra para expressar ideias diferentes e que na opinião geral, a palavra religião é inseparável daquela de culto, que revela exclusivamente uma ideia de forma e que o Espiritismo não é isso. Se o Espiritismo se dissesse uma religião, o público não veria senão uma nova edição, uma variante, veria os princípios absolutos em matéria de fé, uma casta sacerdotal com seu cortejo de hierarquias, cerimônias e privilégios ; não o separaria das ideias, do misticismo e dos abusos contra os quais a opinião se tem erigido muitas vezes. ”

Louis Serré e Roland Tavernier escreveram : ” Não escolhamos entre as palavras : religião, espiritualismo ; nós somos espiritualistas e daí religiosos. Nós admitimos que todas as religiões têm um ponto comum : a espiritualidade ; mas recusamos energicamente os dogmas que cristalizam a pesquisa e se opõem muitas vezes à razão, assim como os rituais que tendem a dar um poder usurpado àqueles que os praticam – levando infalivelmente à intolerância e ao racismo, fontes de tanta crueldade. ”

Curiosidades:

  • O Espiritismo é uma filosofia, deduzida da manifestação dos Espíritos, que tem consequências religiosas.
  • Como as religiões, o Espiritismo está baseado na sobrevivência do Espírito.
  • O Espiritismo, que não tem nem dogmas, nem cultos, nem hierarquias, não é uma religião no sentido comum.
  • O Espiritismo, que religa os homens em uma comunidade de sentimentos e de princípios, é uma religião no sentido etimológico que quer dizer : “laço”.

Para saber mais:

  • O Espiritismo é uma religião ? discurso de Allan Kardec. (no livro A Obsessão ou em fascículo)
  • Spiritualisme vers la lumière de Louis Serré. (Livre second, page 205)
  • Allan Kardec, sa vie, son œuvre d’André Moreil (chap. V)
  • Le Spiritisme, qu’en savons-nous ? de l’U.S.F.F. (2ème édition, page 31)
  • História do Epiritismo de Arthur Conan Doyle. (cap. XXIV, Aspectos religiosos…)
  • Revista Espírita 1908 – p.590 – Allan Kardec (Estudo das religiões)
  • Revista Espírita 1908 – p.739 de P. Verdard-Lessard (A religião e o Espiritismo)

3 Revista Espírita 1867, p.40.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here