Paciência e Espiritismo

0
243

Hoje eu acordei sem paciência. E tudo o que me falavam, com secura característica dos tolos, respondia com monossilabismo. 

Foi então que resolvi colocar no papel, minha aflição daquele momento em particular.

Espírita desde jovem e Umbandista a alguns anos, me questionei sobre aquele sentimento. Seria eu, ou estaria sofrendo interferência de energias densas e portanto propícias à obsessão?

Embora hoje não tenha a resposta, e talvez nunca venha a ter, é certo que acordei diferente. Então me perguntei: o que fiz ontem para acordar assim hoje? Por onde será que andei durante o descanso do meu corpo, que me fizera acordar tão irritada? Não me Lembro.

Foi aí que me ocorreram as palavras Paciência e Espiritismo.

O Espiritismo, assim como outras religiões, frisam muito o fato de termos que lutar contra esse Estado  de Espírito chamado impaciência.

Procuro no meu dia a dia me espelhar nos grandes espiritualistas que já atravessaram nossas vidas, seja pessoalmente ou através da leitura, e por mais que eu tente, não consigo ter voz branda, mas percebi que tenho paciência. É quando ela me falta que meu espírito sente e meu corpo responde com irritação.

Porém, não estou sozinha no mundo, tenho família, familiares, cachorro, gato, uma casa pra cuidar, trabalho, etc., o que me faz levar somente metade da culpa , se é que isso é possível.

O que quero dizer é que não podemos somente pensar que somos nós os errados. Nem tampouco os espíritos desencarnados (que só atingem nosso campo vibracional se o permitirmos), ou somente nossos familiares. É um conjunto de coisas.

Uma bomba por exemplo, para se tornar bomba é necessário que vários elementos que a constituem trabalhem ao mesmo tempo a fim de que ocorra a explosão.

As nossas “explosões” não são diferentes. Não há um só culpado. Nem tampouco um só beneficiado com o ocorrido. Mas se faz necessário, para todos que queiram dar prosseguimento na Doutrina Consoladora, que a Paciência, passe a fazer parte do nosso dia a dia, assim como nossos hábitos diários de higiene. 

E, como a palavra Caridade está sempre em nossa boca, com o intuito de imitarmo o Cristo que disse: “Fora da Caridade não há salvação“, é chegado o momento de fazermos o mesmo por nós, pois ao nos livrarmos das amarras que nos prendem à carne, daremos espaço para o que realmente importa para nossa Vida Eterna: a Paz, a Felicidade e a certeza de dever cumprido.

Daniele Machado

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here