Dualidade

0
213

Conflitos e confusões, conscientização e serenidade? A mente humana tem em si todos os fatores que direcionam atos e sentimentos. Assim é a dualidade que possuímos! É comum o ser humano transferir as culpas de suas falhas para os seres espirituais, irmãos que se encontram no infortúnio, não por que querem, mas sim por não terem consciência de suas ações, controle de seus pensamentos, como acontece, inclusive, com muitos “religiosos” encarnados.


As religiões abordam este assunto com certa negligência e paternalismo, nunca culpando o faltoso e sim transferindo as suas culpas, os motivos de suas falhas, de seus débitos para uma perseguição de seres denominados demoníacos ou trevosos.


É verdade e natural que essas influências ocorram, entretanto, deve ficar claro que as perseguições desses seres só ocorrem porque vivemos e mentalizamos os campos negativos. E toda esta situação, na maioria das vezes, foi criada por nós mesmos. Assim, devemos entender que a responsabilidade é nossa, que cabe, a nós mesmos, buscar sempre conhecer o nosso limite e aprender a lidar com esta dualidade que possuímos.


Não podemos fugir da verdade, sim, o bem e o mal estão em nós, é só analisar as nossas atitudes, os nossos momentos. Infelizmente, muitos só admitem isso, colocando a culpa de suas ações equivocadas em seres que estão, momentaneamente, ou por vontade própria, no campo espiritual negativo.


São as nossas atitudes equivocadas no lidar com esses seres, criando linhas de afinidade, quase sempre nos correspondendo com essas entidades por meio de nossas ações, de nossas vibrações negativas, e ai, é lógico, não estaremos sendo regidos por espíritos iluminados.


Para nos aproximarmos, ou permitirmos a aproximação dos seres de luz, mensageiros do Alto, temos que buscar nos conhecer, respeitar, compreender e amar o outro, melhorar a nossa natureza, controlar a nossa dualidade.


As religiões, principalmente a Umbanda, no meu entendimento, nos permitem esse controle, pois nos possibilita, através do trabalho de assistência aos mais necessitados do apoio espiritual, canalizar a pureza dos ensinamentos doutrinários, que trazem os Guias Espirituais para as nossas vidas. A partir desta nova forma de viver, nunca entenderemos ou afiançaremos, ser melhor do que o outro. Este é o princípio básico da nossa religião, amar profundamente os nossos semelhantes, sermos humildes em nossas ações.


A partir da lapidação interior, da chamada reforma intima, se distinguirá a vibração do magnetismo do Bem em supremacia ao magnetismo do Mal. Pois é o tipo de magnetismo que atrairmos que determinará as afinidades, que permitirá o formato de atuação que teremos junto às hostes espirituais, estaremos providos ou desprovidos da luz Divina em nosso interior.


Com certeza, com está consciência, jamais nos queixaremos quando forças negativas nos atacarem. Entenderemos que se assim aconteceu é porque deixamos de vigiar a nossa própria consciência.


Na mediunidade, a grande ferramenta do médium é ser leal aos princípios religiosos que ele abraçou. Servir desprovido de vaidade, utilizar seu conhecimento para ajudar e ensinar o próximo.


Nessa condição estaremos sempre revertendo o lado nebuloso que possuímos, em luz, tarefa diária que temos que perseguir, com oração e trabalho, lembrando que somos humanos e, como tal, temos que vigiar nossas ações, as nossas atitudes, pois a invigilância é o mesmo que dirigir embriagado.


A Umbanda sempre esteve à mercê desta dualidade humana, pois muitos seres encarnados, que nunca foram umbandistas, mas sempre em nome de nossa religião, se permitiram utilizar-se de trabalhos negativos, trazendo malefícios à nossa religião, deturpando o nome de entidades de grande valor para a Umbanda, assim como, à toda Espiritualidade. É a dualidade humana interferindo nos campos religiosos.


Como médiuns, temos grande responsabilidade na atuação, no contato com essa dualidade, quer seja nossa ou daqueles que nos procuram, daqueles que nos dirigem. Para isso é de fundamental importância estudarmos para melhor entendermos nossa mediunidade, nossa religião. Hoje, felizmente, a espiritualidade nos envia, todos os dias, novos ensinamentos para que possamos melhorar nossa relação com o Alto.


Muitos cursos estão sendo implantados, outros já são sucesso em sua atuação, todos com um único objetivo: direcionar os médiuns para um caminho seguro, fortalecendo o seu intimo e a sua atuação junto aos seus Mentores. Entre eles se destacam o curso dos Portais de Libertação, Doutrina Umbandista, Teologia de Umbanda, entre tantos outros.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorÉtica Mediúnica
Próximo artigoPlanos Vibratórios

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here