Caridade

0
204

Estava há poucos instantes tentando absorver o verdadeiro sentido da palavra caridade.

Quando, como e em que circunstâncias ela passa a fazer parte de nossas atitudes.

Quem lê a Bíblia, o Evangelho tem sempre na ponta da língua a máxima: “Fora da caridade não há salvação”.

Meus queridos! Não basta estender as mãos e entregar a moeda ao mendigo; não basta dar um prato de comida para o necessitado que lhe bate à porta; não basta ajudar ao cego ou a pobre velhinho no atravessar da rua, e assim por diante.

Eu teria milhares de exemplos do nosso dia a dia para demonstrar caridade.

Então voltei meus pensamentos ao Espiritismo, nas palavras dos espíritos de luz, de Allan Kardec, André Luiz, Emmanuel que tão brilhantemente continua a instruir gerações a respeito das leis do Cristo.

Ora, já pararam pra pensar porque nasceram? Por que estão nessa família? Por que tem esse pai, essa mãe, esse irmão, essa irmã, tia, tio, avô, avó?

Certamente que sim! Mas muito provavelmente em outra circunstância, como por exemplo num momento de ira ou alegria.

“Nossa sou feliz por tê-la escolhido como mãe – sua comida é ótima” ou “Que mal eu fiz pra merecer um filho como esse?

As escolhas em primeiro lugar passam por criteriosa avaliação de espíritos muitos superioes e o aval final de Deus. Ela é permitida segundo aquilo que demonstramos pretender com nossas encarnações. E é exatamente através dessa ferramenta, se posso assim dizer, o degrau para nossa evolução.

É sabido que o seio familiar em que encarnamos é mesclado por espíritos afins, atraídos, ou com os quais possuímos dívida em encarnação passada.

Sendo assim, é justamente em nosso lar, que deve se iniciar a caridade. Agradando aos pais, sendo gentil e atencioso(a) com os avós.  Ajudando ensinando o irmão mais novo o caminho correto a ser trilhado, tendo paciência com o esposo ou a esposa. Sorrir, dizer bom dia, ajudar nas tarefas do lar, compatilhar alegrias e tristezas, ficar ao lado do enfermo, olhar mais nos olhos das pessoas que moram debaixo do mesmo teto e menos para o próprio umbigo.

Não pensem que conseguirão praticar a mediúnidade em sua plenitude, ajudar aos espíritos desencarnados ou mesmo os encarnados sem o ajuste de contas consigo mesmo.

Quando esse ajuste é feito, o trabalho mediúnico e a ajuda aos mais enfermos seja fisica, mental ou espiritualmente, flui de maneira esplêndida e aí sim terás a certeza de missão cumprida.

Se todos somos irmãos por termos o mesmo Pai, é priori que a caridade se inicie no seio da própria família.

Fiquem todos em paz!

Daniele

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here