Alguns significados de Umbral

0
216

A palavra “Umbral” possui atualmente, em português, três sentidos distintos, contudo com relação de continuidade:

01. Sentido usado na arquitetura e construção

O significado primário do termo, de etimologia espanhola (umbral), é o nome da pedra que se coloca na parte de baixo de uma porta. Nas construções antigas, e ainda hoje, costuma-se colocar uma pedra (na maioria das vezes de mármore), com a mesma largura da porta para funcionar no nível do piso como demarcação de separação entre os dois ambientes. Em português, essa pedra também pode ser chamada de umbreira, mas o local que ela ocupa – ou seja, a passagem entre dois ambientes – é chamado de umbral. O dicionário Houaiss notifica a derivação por extensão de sentido “local de entrada para um interior; limiar” E dá como exemplo a frase: “O porto é o umbral da cidade.” Dessa forma, a palavra também tem o sentido conotativo de “entrada”.

Alguns significados de Umbral

 02. Sentido usado na psicofísica

Por causa desse sentido primeiro, a palavra “umbral” foi usada para designar o objeto de estudo da psicofísica; ramo da psicologia que estuda a relação entre a magnitude de um estímulo físico e a intensidade com que este é percebido por parte de um observador. A experiência mais conhecida de medição de “umbrais” é a mínima mudança necessária na intensidade de uma luz para que a alteração seja perceptível para o espectador. Usado nesse contexto, o termo ganha os sentidos conotativos de “penumbra” e “escuridão”, como na frase: “Antes de abrir as cortinas, a sala era um umbral”.

03. Sentido Usado no Kardecismo

Por causa desses dois sentidos anteriores, foi a palavra exata para designar na obra espírita (espiritismo), “Nosso Lar”, psicografado por Chico Xavier e atribuída ao espírito de André Luiz, o “estado ou lugar transitório por onde passam as pessoas que não souberam aproveitar a vida na Terra”. É interessante notar que o sentido kardecista guarda os dois sentidos anteriores: primeiro por se tratar de uma dimensão que está “entre” a dimensão material (ou física) e a dimensão espiritual (ou sutil); Depois porque no imaginário popular (reforçado pelas obras audio-visuais que abordaram a temática kardecista, como a novela da TV Globo, “A Viagem”) esse lugar seria mal iluminado, cheio de “trevas”, (que é a primeira imagem que vem à mente quando se fala de umbral no sentido da psicofísica). Após aparecer em “Nosso Lar”, com esse significado, passou a ser usado de forma recorrente em obras mediúnicas, de maneira que foi incorporado ao jargão espírita no Brasil.

Segundo a doutrina espírita, é uma “dimensão” na qual estão os espíritos que tiveram uma vida de maldades. Por conta disso, eles experimentam sofrimentos “físicos” e morais, como a sensação da necrose do corpo e a vergonha de se ver incapaz de ocultar suas fraquezas e desejos mais íntimos dos olhares curiosos e/ou inquisidores de outros espíritos. As referências ao Umbral, que surgem em romances mediúnicos brasileiros em meados do século XX, são bastante diversificadas entre si, ora dando a entender que se limitaria a um estado de confusão mental por que passa o espírito após a morte, ora descrevendo-o como um “lugar espiritual” situado próximo à crosta terrestre e habitado porespíritos obsessores. No livro Nosso Lar, o umbral é definido como uma “região destinada a esgotamento de resíduos mentais (…)”. Assim sendo, entende-se como um período posterior ao desencarne (processo em que a alma abandona o corpo após a morte deste) que possibilita à alma entender o seu atual estado espiritual. O tempo de permanência no Umbral, e a ocorrência de processos dolorosos de culpa e flagelação, vai depender do estágio evolutivo da alma e do reconhecimento humilde das faltas cometidas (quando for o caso).

Em verdade o Umbral lembra a ideia do “purgatório” pregado na doutrina católica. Contudo, na doutrina espírita está presente a ideia de “evolução espiritual”: Como todo espírito tem como objetivo ascender no seu progresso moral e intelectual na direção do Amor Divino, é nessa zona que ele, após a morte do corpo material, fica enquanto continuar com vibrações inferiores. No momento em que consegue sintonizar com as vibrações positivas ele identifica seus interventores espirituais que estão lá para auxiliá-lo. Esse período de tempo pode ser curto ou longo, mas é passageiro.

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here